TRADUTOR / TRANSLATER

TRADUTOR / TRANSLATER / TRADUCTEUR / TRADUCTOR / TRADUTTORE
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Quem sou eu

Minha foto

Bem vinda(o) à página de Ton MarMel, Artista Visual, que desde criança manifestou dotes para pintura, desenho, escultura, frequentou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, recebeu inúmeros prêmios, participou de dezenas de salões de artes, exposições INDIVIDUAIS no Brasil e exterior, é Advogado, doutor em Direito Público há mais de 15 anos, que tem a missão de oferecer obras de artes, serviços artísticos experientes e conhecimentos de excelência com criatividade, segurança e eficiência, inclusive para ASESSESSORIA ARTÍSTICA, CONSULTORIA ON LINE.  (º--º)  Meu trabalho é conhecido e reconhecido por várias pessoas físicas e jurídicas pois presto serviços e ATENDIMENTOS INDIVIDUAIS E EM GRUPOS, inclusive como PALESTRANTE sobre arte social, direito, projetos sociais de relevância, desenvolvimento pessoal, motivação, empoderamento, liberdade emocional.



TOTAL DE VISITANTES

TOTAL DE VISITANTES

SEGUIDORES DE MARMEL

PESQUISAR NESTE SITE?

RECEBER NOTÍCIAS DE PUBLICAÇÕES? DIGITE E-MAIL

domingo, dezembro 13, 2015

O PATINHO QUE ERA FEIO ATÉ GANHAR NA MEGASENA

Ao contrário do que temos lido, acreditamos que são nossas fraquezas, nossos medos e defeitos os responsáveis pelo nosso desenvolvimento e sucesso, desde que tenhamos conhecimento disso. Na realidade, quando temos consciência dessas falhas lutamos para corrigi-las, policiamo-nos para não repeti-las e com isso mudamos nossos hábitos. Por conseguinte, uma das palavras-chaves para a felicidade e sucesso é autoconhecimento: à medida que nos conhecemos, verdadeira e profundamente, tornamo-nos mais e mais indulgentes, pacientes e compreensivos para com o próximo, exatamente aquele que julgávamos (erroneamente) responsável pela nossa infelicidade, e assumimos o papel principal em nossa vida.


A capacidade de mudar velhos hábitos e antigas atitudes reflete nosso grau de flexibilidade, que indica nosso nível de saúde mental. Quanto mais inflexível, maior será o tempo de reação a situações novas, criando-nos profundos transtornos. Agora, se formos flexíveis e não deixarmos o passado ter poder sobre nós, mais livre nos encontraremos para perceber, digerir e responder adequadamente à vida.

Para ter felicidade e sucesso verdadeiros, faça quatro perguntas para si mesmo: por quê? por que não? por que não eu? por que não agora?

MAS AFINAL, O QUE ISSO TUDO TEM A VER COM A CONHECIDA ESTORIANHA DO PATINHO FEIO QUE DEIXOU DE SER FEIO QUANDO GANHOU O PRÊMIO DA MEGASENA?!

SABE DE NADA, INOCENTE!!!

Então preste atenção nessa estorinha...

- Vó, por que as pessoas sofrem?

- Como é que é?

- Por que as "pessoas grandes" vivem bravas, irritadas, sempre preocupadas com alguma coisa?

- Bem, minha filha, muitas vezes, porque elas foram ensinadas a viver assim (silêncio).

- Vó     .

- Oi      .

- Como é que as pessoas podem ser ensinadas a viver mal? Não consigo entender.

- É que elas não percebem que foram ensinadas para ser infelizes e não conseguem mudar, que as torna assim. Você não está entendendo, não é, meu amor?

- Não, vovó.

- Você lembra da historinha do Patinho Feio?

- Lembro.

- Então ... , o patinho se considerava feio porque era diferente de todo mundo. Isso deixava-o muito infeliz e perturbado, tão infeliz que um dia ele resolveu ir embora, viver sozinho. Só que o lago que ele procurou para nadar tinha congelado e estava muito frio. Quando ele olhou para seu reflexo no lago, percebeu que ele era, na verdade, um maravilhoso cisne. E assim se juntou aos seus iguais e viveu feliz para sempre.

- O que isso tem a ver com a tristeza das pessoas?

- Bem, quando nascemos, somos separados de nossa "natureza-cisne". Ficamos como patinhos, tentando caber no que os outros dizem que está certo. Então, passamos muito tempo tentando virar patos.

- É por isso que as pessoas grandes estão sempre irritadas?

- Isso! Viu como você é esperta?!

- Então, é só perceber que somos cisnes que tudo dá certo? (engasgou) ...

- O que foi, vovó?

- Na verdade, minha filha, encontrar o nosso verdadeiro espelho não é tão fácil assim. Você lembra o que o patinho precisava fazer para se enxergar?

- O quê?

- Ele primeiro precisava parar de tentar ser um pato. Isso significa parar de tentar ser quem não somos. Depois, ele aceitou ficar um tempo sozinho para se encontrar.

- Por isso ele passou muito frio, não é, vovó?

- Passou frio e ficou sozinho no inverno.

- Por isso que o papai anda tão sozinho e bravo?

- Como é, minha filha?

- Meu pai está sempre bravo, sempre quieto com a música e a televisão dele. Outro dia, ele estava chorando no banheiro ... (emudeceu durante algum tempo).

Essas crianças ...

- Vó, o papai é um cisne que pensa que é um pato?

- Todos nós somos, querida.

- Ele vai descobrir quem ele é, de verdade?

- Vai, minha filha, vai. Mas, quando estamos no inverno, não podemos desistir, nem esperar que o espelho venha até nós. Temos que procurar ajuda até encontrar.

- E aí viramos cisnes?

- Nós já somos cisnes. Apenas deixamos que o cisne venha para fora, e tenha espaço para viver.

(A menina deu um pulo da cadeira).

- Aonde você vai?

- Vou contar para o papai o cisne bonito que ele é.

E a boa vovó apenas sorriu...


(O PATINHO FEIO – Trabalho concebido na série de mais de 600 trabalhos, titulados sob Nós, Brinquedos, no Volume 1, subtitulado Poeira em Alto Mar – Ton MarMel)



.