TRADUTOR / TRANSLATER

TRADUTOR / TRANSLATER / TRADUCTEUR / TRADUCTOR / TRADUTTORE
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Quem sou eu

Minha foto

Bem vinda(o) à página de Ton MarMel, Artista Visual, que desde criança manifestou dotes para pintura, desenho, escultura, frequentou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, recebeu inúmeros prêmios, participou de dezenas de salões de artes, exposições INDIVIDUAIS no Brasil e exterior, é Advogado, doutor em Direito Público há mais de 15 anos, que tem a missão de oferecer obras de artes, serviços artísticos experientes e conhecimentos de excelência com criatividade, segurança e eficiência, inclusive para ASESSESSORIA ARTÍSTICA, CONSULTORIA ON LINE.  (º--º)  Meu trabalho é conhecido e reconhecido por várias pessoas físicas e jurídicas pois presto serviços e ATENDIMENTOS INDIVIDUAIS E EM GRUPOS, inclusive como PALESTRANTE sobre arte social, direito, projetos sociais de relevância, desenvolvimento pessoal, motivação, empoderamento, liberdade emocional.



TOTAL DE VISITANTES

TOTAL DE VISITANTES

SEGUIDORES DE MARMEL

PESQUISAR NESTE SITE?

RECEBER NOTÍCIAS DE PUBLICAÇÕES? DIGITE E-MAIL

terça-feira, dezembro 08, 2015

O BRILHO DO VAGA-LUME

Não permita que ninguém, além de você, determine seu destino. Infelizmente muitas pessoas ao redor não conseguem ter luz própria e vivem à sombra do outro. Não acho que isso seja um problema, até o momento que essas pessoas comecem a querer roubar a sua luz ou ofuscá-la. Fuja dessas criaturas sombrias; elas não merecem seu respeito .



Escolha suas companhias, pois elas o ajudarão a determinar o seu destino.

"Fique longe de quem tenta diminuir suas ambições. Gente mesquinha sempre faz isso, mas realmente os grandes o fazem sentir que você também pode se tomar grande".


BRILHO DO VAGA-LUME

Era uma vez uma cobra que começou a perseguir um vaga-lume, que só vivia para brilhar.

Ele fugia rápido, com medo da feroz predadora, e a cobra nem pensava em desistir. Fugia um dia e ela não desistia; dois dias e nada...

No terceiro dia, já sem forças, o vaga-lume parou e disse à cobra:
- Posso fazer três perguntas?

- Não costumo abrir esse precedente para ninguém, mas, já que vou comer você mesmo, pode perguntar ...

- Pertenço a sua cadeia alimentar?

- Não.

- Lhe fiz alguma coisa?

- Não.

- Então, por que você quer me comer?

- Porque não suporto ver você brilhar ...


Origem da palavra Vaga-Lume

Do português caga-lume ou caga-fogo, era o nome atribuído ao inseto que possui glândulas luminescentes na parte traseira do corpo.

Com o passar do tempo, por questões de pudor e censura, trocou-se a letra “C” por “V”. Assim, “vaga” passou a representar o verbo “vagar”, que significa “andar sem rumo”.

Neste caso, vaga-lume seria o mesmo que “luz que anda sem rumo”.

O lucente bichinho é um eufemismo vivo, porque “lume” significa “fogo”, “brilho”, “luz”.

Em Portugal, os vaga-lumes (também grafados sob a versão “vagalumes”) são chamados de pirilampos, um sinônimo para o nome deste animal.

De acordo com o livro “De onde vêm as palavras”, de Deonísio da Silva, foi o escritor Machado de Assis que aprovou definitivamente a palavra vaga-lume no dicionário da língua portuguesa, no século XIX. Antes disso, este termo teve que trilhar um longo caminho até chegar a forma conhecida contemporaneamente.



.