TRADUTOR / TRANSLATER

TRADUTOR / TRANSLATER / TRADUCTEUR / TRADUCTOR / TRADUTTORE
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Quem sou eu

Minha foto

Bem vinda(o) à página de Ton MarMel, Artista Visual, que desde criança manifestou dotes para pintura, desenho, escultura, frequentou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, recebeu inúmeros prêmios, participou de dezenas de salões de artes, exposições INDIVIDUAIS no Brasil e exterior, é Advogado, doutor em Direito Público há mais de 15 anos, que tem a missão de oferecer obras de artes, serviços artísticos experientes e conhecimentos de excelência com criatividade, segurança e eficiência, inclusive para ASESSESSORIA ARTÍSTICA, CONSULTORIA ON LINE.  (º--º)  Meu trabalho é conhecido e reconhecido por várias pessoas físicas e jurídicas pois presto serviços e ATENDIMENTOS INDIVIDUAIS E EM GRUPOS, inclusive como PALESTRANTE sobre arte social, direito, projetos sociais de relevância, desenvolvimento pessoal, motivação, empoderamento, liberdade emocional.



TOTAL DE VISITANTES

TOTAL DE VISITANTES

SEGUIDORES DE MARMEL

PESQUISAR NESTE SITE?

RECEBER NOTÍCIAS DE PUBLICAÇÕES? DIGITE E-MAIL

quinta-feira, julho 23, 2015

O PODER VERDADEIRO

Era uma vez um guerreiro famoso por sua invencibilidade na guerra. Era um homem extremamente cruel e, por isso, temido por todos. Quando ele se aproximava de uma aldeia os moradores saiam correndo para as montanhas, onde se escondiam do malvado guerreiro.


(DUAS PETECAS. Trabalho pertencente ao Volume 2 - As Tranças do Careca - da série Nós, Brinquedos, produzido através de  técnicas diversas, de autoria de Ton MarMel)

Certo dia, alguém o viu aproximar-se com seu poderoso exército de uma pequena aldeia onde viviam alguns agricultores e, dentre eles, havia um velhinho muito sábio. Quando o pessoal escutou a terrível notícia da aproximação do guerreiro perverso tratou de juntar o que podia e fugir rapidamente para as montanhas, e só o velhinho ficou para trás, pois ele mal podia andar e não podia fugir correndo.

Então, o guerreiro entrou na aldeia e foi cruel; foi logo incendiando as casas e matando alguns animais soltos pelas ruas até que chegou à casa do velhinho, e este quando viu o velhinho assustou-se, pois todos haviam fugido, menos o velhinho indefeso! E, sem piedade, o guerreiro foi logo dizendo ao velhinho que seus dias haviam chegado ao fim, mas que lhe concederia um último desejo antes de passá-lo pelo fio de sua espada.

Assim, ouvindo essas ameaçadoras palavras, o velhinho pensou um pouco e pediu ao guerreiro assustador que fosse com ele até o bosque e que ali cortasse um simples galho de uma árvore.

E achando tudo aquilo uma besteira o guerreiro disse:

- “Esse velho deve estar gagá. Que último desejo mais besta!".

Entretanto, pensando no pedido do velhinho, o guerreiro disse para si mesmo que se esse era o último desejo do velhinho havia que lhes atender. E lá foi o velhinho e o guerreiro acompanhado de sua espada até o bosque.

Chegando ao bosque o guerreiro cortou um galho de uma árvore e quando o galho cortado bateu no chão o velhinho comentou:

- "Muito bem! O senhor cortou o galho da árvore, agora, por favor, coloque esse galho na árvore, outra vez!"

Então, o guerreiro deu uma grande gargalhada e foi logo dizendo que o velhinho devia estar louco, pois todo mundo sabe que isso já não é mais possível (colocar o galho cortado na árvore, outra vez). Ao que o velhinho lhe respondeu:



- "Louco é você que pensa que tem poder só porque destrói as coisas e mata as pessoas que encontra pela frente. Quem só sabe destruir e matar não tem poder, pois matar e destruir são as coisas mais fáceis que existem. Mas, quem tem o verdadeiro poder é a pessoa que sabe juntar, que sabe unir o que foi separado, que faz reviver o que parece morto. Essa pessoa, sim, tem verdadeiro poder".