TRADUTOR / TRANSLATER

TRADUTOR / TRANSLATER / TRADUCTEUR / TRADUCTOR / TRADUTTORE
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Quem sou eu

Minha foto

Bem vinda(o) à página de Ton MarMel, Artista Visual, que desde criança manifestou dotes para pintura, desenho, escultura, frequentou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, recebeu inúmeros prêmios, participou de dezenas de salões de artes, exposições INDIVIDUAIS no Brasil e exterior, é Advogado, doutor em Direito Público há mais de 15 anos, que tem a missão de oferecer obras de artes, serviços artísticos experientes e conhecimentos de excelência com criatividade, segurança e eficiência, inclusive para ASESSESSORIA ARTÍSTICA, CONSULTORIA ON LINE.  (º--º)  Meu trabalho é conhecido e reconhecido por várias pessoas físicas e jurídicas pois presto serviços e ATENDIMENTOS INDIVIDUAIS E EM GRUPOS, inclusive como PALESTRANTE sobre arte social, direito, projetos sociais de relevância, desenvolvimento pessoal, motivação, empoderamento, liberdade emocional.



TOTAL DE VISITANTES

TOTAL DE VISITANTES

SEGUIDORES DE MARMEL

PESQUISAR NESTE SITE?

RECEBER NOTÍCIAS DE PUBLICAÇÕES? DIGITE E-MAIL

quinta-feira, março 10, 2016

FOTOGRAFIA E FILME - VOCÊ SABE QUAIS SÃO AS DIFERENÇAS ENTRE UMA FOTO E UM FILME?!

FOTOGRAFIA E FILME – VOCÊ SABE QUAIS SÃO AS DIFERENÇAS ENTRE UMA FOTOGRAFIA E UM FILME? Nos primórdios da história humana tudo e todos os acontecimentos eram guardados na memória humana.  Mas, com o tempo, a memória se tornava falha, imprecisa, nebulosa, esfumaçada. Então, por necessidade imperiosa, o ser humano criou o desenho rupestre nas paredes de suas cavernas com pigmentação retirada de vários objetos, como meio de deixar grafado seus acontecimentos cotidianos para a posteridade.


Acontece que com o passar dos tempos os homens deixaram de residir em cavernas e passaram a viver em aldeias e posteriormente em burgos, pequenas cidades, e os registros das pinturas das cavernas - que também não eram coisas fáceis de serem feitas e nem que durassem muito tempo - também acompanharam essas mudanças de habitat humano, e logo a pintura, a escultura e outras formas de expressão foram surgindo.

Ora, a fotografia – como a vemos atualmente - tem apenas cerca de 177 anos e, segundo relatos, Joseph Nicephore Niepce foi, em 1793, uma das primeiras pessoas a conseguir “imprimir” a luz em uma superfície sem usar qualquer tipo de tinta, porém as imagens desapareciam depois de um tempo. Ele usava uma câmara obscura, parecida com o que conhecemos hoje por pinhole, e um tipo especial de papel com cloreto de prata.

Em 1824 ele conseguiu encontrar um método que permitia mais duração das imagens e em 1826 foi registrada a primeira fotografia de duração indefinida (imagem acima), que existe até hoje. Como é possível perceber, no entanto, a qualidade ainda era baixíssima; além disso, o processo todo de captura levava horas. Em 1834, Henry Fox Talbot criou uma versão bem primitiva do que posteriormente seria o negativo fotográfico, que ajudaria a tornar mais popular a fotografia. Mas foi apenas em 1849 que Louis Daguerre trouxe a arte, que era até então totalmente experimental e complexa, a um novo patamar.

Então, como já se percebeu, a fotografia é arte ou processo de reproduzir imagens sobre uma superfície fotossensível (como um filme), pela ação de energia radiante, esp. a luz. Em outras palavras, a foto não tem voz, não emite som por si, mas contém em si imagem que transmite ao ser humano sensações, e através dessas sensações é meio capaz de incitar emoções, lembranças e sentidos adormecidos posteriormente.

E UM FILME!!! O QUE É UM FILME? Um filme é um conjunto de fotografias - ordenadas e coladas entre si - que é reproduzido em alta velocidade ante as retinas cuja rápida reprodução causa a impressão e a sensação de movimento. E, com a finalidade de causar mais veracidade e realidade, os filmes - que antes eram apenas fotografias espalhadas – ganharam som e até hoje se busca adicionar outros efeitos aos filmes, para melhor traduzirem o contexto que foram criados, para que possam despertar outros sentidos, tal como o olfato, o tato.

Então, a fotografia que inicialmente é muda, mas que possui em si a capacidade de despertar lembranças e sentidos INDIRETOS pelo simples fato de estar diante dos olhos de uma pessoa através de suas imagens e lembranças diretamente registradas e impressas em papel, traz em si todo um conjunto de imagens do passado para o presente, pois, queiramos ou não, gostemos ou não, em síntese, a fotografia é no presente e será no futuro, a imagem e o registro visual do passado, seja passado recente, seja passado de dezenas e centenas de anos; e essa presença (que sempre estará no presente de quem coloca seus olhos sobre a foto e sobre o que a foto contém e remete), sempre lembrará o passado, vivido e experimentado por alguém, levando o observador instintivamente a reviver o contexto da fotografia.


P.S (post scritum): A fotografia acima data de 1826 e é a primeira fotografia que se tem notícia. Nessa foto vê-se o registro de telhados de casas.



.