TRADUTOR / TRANSLATER

TRADUTOR / TRANSLATER / TRADUCTEUR / TRADUCTOR / TRADUTTORE
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

SEGUIDORES DE MARMEL

TOTAL DE VISITANTES

TOTAL DE VISITANTES

Quem sou eu

Minha foto

Bem vinda(o) à página de Ton MarMel, Artista Visual, que desde criança manifestou dotes para pintura, desenho, escultura, frequentou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, recebeu inúmeros prêmios, participou de dezenas de salões de artes, exposições INDIVIDUAIS no Brasil e exterior, é Advogado, doutor em Direito Público há mais de 15 anos, que tem a missão de oferecer obras de artes, serviços artísticos experientes e conhecimentos de excelência com criatividade, segurança e eficiência, inclusive para ASESSESSORIA ARTÍSTICA, CONSULTORIA ON LINE.  (º--º)  Meu trabalho é conhecido e reconhecido por várias pessoas físicas e jurídicas pois presto serviços e ATENDIMENTOS INDIVIDUAIS E EM GRUPOS, inclusive como PALESTRANTE sobre arte social, direito, projetos sociais de relevância, desenvolvimento pessoal, motivação, empoderamento, liberdade emocional.



PESQUISAR NESTE SITE?

RECEBER NOTÍCIAS DE PUBLICAÇÕES? DIGITE E-MAIL

domingo, setembro 20, 2015

A LEI DA NATUREZA



Um agricultor tinha sacos variados de sementes. Resolveu um dia plantar um grande terreno nunca utilizado - uma lavoura de morangos. Passou o trator, limpou o terreno, apanhou um saco enorme de sementes e foi deitando-as na terra, mecanicamente. Ao final de uma tarde, desceu do trator, exausto, e, olhando a grande extensão plantada, pensou: "Agora é só esperar que a natureza faça o resto". E foi descansar.

(Retrato em branco e preto. Série Nós Brinquedos. Ton MarMel)

Três semanas depois, o homem resolveu dar uma olhada em sua nova lavoura para ver o crescimento das plantas. Começou a caminhar a pé por entre as pequenas mudas que já tinham mais de um palmo de tamanho, examinando-as cuidadosamente. Até que, de repente, parou estarrecido, pôs as mãos na cabeça e gritou: NÃO!!!!!!!!! Correu ao celeiro, pegou o saco das sementes que plantara e confirmou sua incredulidade: de plantara, equivocadamente, tomates em vez de morangos. Indignado, voltou correndo à sua lavoura e, esbravejando e pisoteando as tenras plantinhas, gritava: "Droga, droga, detesto tomates, eu queria morangos .... " e chutava a terra, pisoteava, pulava numa fúria insana até cair sobre o solo, exausto e embarrado. Vendo aquilo, sua mulher o socorreu e ele, chorando enraivecido, afirmou detestar aquela lavoura e queria vê-la destruída. Sua mulher, pessoa simples mas sábia, consolou-o e lhe disse: "Mas, meu marido, a natureza não fez nada errado, se você plantou tomates, como queria colher morangos”? ....

E assim é a vida, sempre colhemos o que nós plantamos. E nisso não há nenhum castigo. É apenas uma lei, lógica e imutável. Se você planta tomates vai colher tomates! Portanto, quando você for plantar sua "lavoura", cuide bem na escolha das "sementes" ... para não ter surpresas desagradáveis ou tristes.