TRADUTOR / TRANSLATER

TRADUTOR / TRANSLATER / TRADUCTEUR / TRADUCTOR / TRADUTTORE
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Quem sou eu

Minha foto

Bem vinda(o) à página de Ton MarMel, Artista Visual, que desde criança manifestou dotes para pintura, desenho, escultura, frequentou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, recebeu inúmeros prêmios, participou de dezenas de salões de artes, exposições INDIVIDUAIS no Brasil e exterior, é Advogado, doutor em Direito Público há mais de 15 anos, que tem a missão de oferecer obras de artes, serviços artísticos experientes e conhecimentos de excelência com criatividade, segurança e eficiência, inclusive para ASESSESSORIA ARTÍSTICA, CONSULTORIA ON LINE.  (º--º)  Meu trabalho é conhecido e reconhecido por várias pessoas físicas e jurídicas pois presto serviços e ATENDIMENTOS INDIVIDUAIS E EM GRUPOS, inclusive como PALESTRANTE sobre arte social, direito, projetos sociais de relevância, desenvolvimento pessoal, motivação, empoderamento, liberdade emocional.



TOTAL DE VISITANTES

TOTAL DE VISITANTES

SEGUIDORES DE MARMEL

PESQUISAR NESTE SITE?

RECEBER NOTÍCIAS DE PUBLICAÇÕES? DIGITE E-MAIL

domingo, setembro 20, 2015

A LEI DA NATUREZA



Um agricultor tinha sacos variados de sementes. Resolveu um dia plantar um grande terreno nunca utilizado - uma lavoura de morangos. Passou o trator, limpou o terreno, apanhou um saco enorme de sementes e foi deitando-as na terra, mecanicamente. Ao final de uma tarde, desceu do trator, exausto, e, olhando a grande extensão plantada, pensou: "Agora é só esperar que a natureza faça o resto". E foi descansar.

(Retrato em branco e preto. Série Nós Brinquedos. Ton MarMel)

Três semanas depois, o homem resolveu dar uma olhada em sua nova lavoura para ver o crescimento das plantas. Começou a caminhar a pé por entre as pequenas mudas que já tinham mais de um palmo de tamanho, examinando-as cuidadosamente. Até que, de repente, parou estarrecido, pôs as mãos na cabeça e gritou: NÃO!!!!!!!!! Correu ao celeiro, pegou o saco das sementes que plantara e confirmou sua incredulidade: de plantara, equivocadamente, tomates em vez de morangos. Indignado, voltou correndo à sua lavoura e, esbravejando e pisoteando as tenras plantinhas, gritava: "Droga, droga, detesto tomates, eu queria morangos .... " e chutava a terra, pisoteava, pulava numa fúria insana até cair sobre o solo, exausto e embarrado. Vendo aquilo, sua mulher o socorreu e ele, chorando enraivecido, afirmou detestar aquela lavoura e queria vê-la destruída. Sua mulher, pessoa simples mas sábia, consolou-o e lhe disse: "Mas, meu marido, a natureza não fez nada errado, se você plantou tomates, como queria colher morangos”? ....

E assim é a vida, sempre colhemos o que nós plantamos. E nisso não há nenhum castigo. É apenas uma lei, lógica e imutável. Se você planta tomates vai colher tomates! Portanto, quando você for plantar sua "lavoura", cuide bem na escolha das "sementes" ... para não ter surpresas desagradáveis ou tristes.