TRADUTOR / TRANSLATER

TRADUTOR / TRANSLATER / TRADUCTEUR / TRADUCTOR / TRADUTTORE
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Quem sou eu

Minha foto

Bem vinda(o) à página de Ton MarMel, Artista Visual, que desde criança manifestou dotes para pintura, desenho, escultura, frequentou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, recebeu inúmeros prêmios, participou de dezenas de salões de artes, exposições INDIVIDUAIS no Brasil e exterior, é Advogado, doutor em Direito Público há mais de 15 anos, que tem a missão de oferecer obras de artes, serviços artísticos experientes e conhecimentos de excelência com criatividade, segurança e eficiência, inclusive para ASESSESSORIA ARTÍSTICA, CONSULTORIA ON LINE.  (º--º)  Meu trabalho é conhecido e reconhecido por várias pessoas físicas e jurídicas pois presto serviços e ATENDIMENTOS INDIVIDUAIS E EM GRUPOS, inclusive como PALESTRANTE sobre arte social, direito, projetos sociais de relevância, desenvolvimento pessoal, motivação, empoderamento, liberdade emocional.



TOTAL DE VISITANTES

TOTAL DE VISITANTES

SEGUIDORES DE MARMEL

PESQUISAR NESTE SITE?

RECEBER NOTÍCIAS DE PUBLICAÇÕES? DIGITE E-MAIL

terça-feira, setembro 23, 2014

ABELARDO - 90 anos - DA HORA

“As artes plásticas pernambucanas perdem um de seus integrantes mais talentosos na manhã desta terça-feira. O desenhista, gravurista, ceramista e escultor Abelardo da Hora, de 90 anos, faleceu devido a um edema pulmonar, às 8h45, após passar quatro semanas internado no hospital Memorial São José. Ao longo de 2014, o artista já havia sido internado várias vezes devido a problemas respiratórios, mas sua situação se agravou nos últimos dias. Viúvo, Abelardo deixa sete filhos.



Um dos pilares da arte moderna em Pernambuco, sua atuação foi extensa e produtiva, em uma carreira que ultrapassou 60 anos de duração. Sua última obra pública foi a escultura O artilheiro, erguida na Arena Pernambuco e inaugurada no dia 31 de julho, aniversário do artista, que nasceu em Nazaré da Mata em 1924.




Nesta última internação hospitalar, Abelardo enfrentou uma virose, uma pneumonia, uma infecção pulmonar e um AVC, antes de sofrer o endema que o vitimou. "Ele foi um guerreiro que driblou tudo isso enquanto estava no hospital", observou Abelardo da Hora Filho, que o ajudava de perto em seus últimos projetos. Segundo ele, um dos motivos dos problemas respiratórios de seu pai era o contato com os materiais que trabalhava em seu ateliê, como pós de cimento e gesso.


Ele nunca deixou de trabalhar em suas esculturas. Muitas vezes, a discussão de temáticas sociais e a abordagem de tipos populares foram objeto da atenção de Abelardo. Além de seu talento artístico, a atuação de Abelardo também foi na esfera política e chegou a ser secretário de cultura do Recife.”




(Fonte: Correio Braziliense)