TRADUTOR / TRANSLATER

TRADUTOR / TRANSLATER / TRADUCTEUR / TRADUCTOR / TRADUTTORE
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

SEGUIDORES DE MARMEL

TOTAL DE VISITANTES

TOTAL DE VISITANTES

Quem sou eu

Minha foto

Bem vinda(o) à página de Ton MarMel, Artista Visual, que desde criança manifestou dotes para pintura, desenho, escultura, frequentou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, recebeu inúmeros prêmios, participou de dezenas de salões de artes, exposições INDIVIDUAIS no Brasil e exterior, é Advogado, doutor em Direito Público há mais de 15 anos, que tem a missão de oferecer obras de artes, serviços artísticos experientes e conhecimentos de excelência com criatividade, segurança e eficiência, inclusive para ASESSESSORIA ARTÍSTICA, CONSULTORIA ON LINE.  (º--º)  Meu trabalho é conhecido e reconhecido por várias pessoas físicas e jurídicas pois presto serviços e ATENDIMENTOS INDIVIDUAIS E EM GRUPOS, inclusive como PALESTRANTE sobre arte social, direito, projetos sociais de relevância, desenvolvimento pessoal, motivação, empoderamento, liberdade emocional.



PESQUISAR NESTE SITE?

RECEBER NOTÍCIAS DE PUBLICAÇÕES? DIGITE E-MAIL

quinta-feira, novembro 14, 2013

ATO DE CRIAR

Há pintores, escultores, escritores, artistas de tema único que é repetido a cada trabalho, durante toda a vida desses artistas. Novo apenas no aspecto formal pois quanto ao conteúdo este está mais próximo de um carimbo sem graça e sem novidade que lembra cena do apertar de parafusos em fábrica do filme Tempos Modernos. 


(/Sobre traços e indícios da realidade na arte e na vida. Por Ton MarMel. 2013)

Apesar de constante a vida de cada pessoa tem suas novidades e repetições todos os dias, e o ato de criar deve ser espelho daquilo que acontece na vida do artista, caso contrário seu trabalho é uma fraude e ofensa a autenticidade na arte.


(Sobre o jogo de sedução. Por Ton MarMel. 2013)

Fazer da repetição formal uma marca, uma assinatura, um estilo para ser reconhecido e apontado é ato criativo apenas nos primeiros trabalhos de arte, e após o terceiro ou quarto trabalho desenvolvido com as mesmas linhas, traços e cores além de tornar-se enjoativo é claro sinal de comodismo, de falta de criatividade, de falta de cultura e leitura sobre si mesmo, sobre o cotidiano das pessoas, sobre os objetos que cercam o artista; é não transcender ao quintal de sua casa; é concentrar-se apenas numa única árvore sem levantar voo para possuir uma visão completa da floresta na qual está situada sua árvore de vida em relação ao planeta e em relação ao universo.


(Ainda sobre a Paz. Por Ton MarMel. 2013)


No passado o ato repetitivo foi valorizado, mas hoje graças ao advento da ferramenta da internet a repetição não tem mais lugar, e a imagem que se viu hoje publicada ou na parede transforma-se rapidamente em peça de museu em poucas horas, perde a graça da novidade face as milhares de imagens, fotos e informações que chegam a cada segundo, deixando apenas no olhar do expectador o desejo pelo objeto novo. Portanto, deixai a imaginação ocupar o lugar da imaginação que é a vida.


(Ton MarMel)