TRADUTOR / TRANSLATER

TRADUTOR / TRANSLATER / TRADUCTEUR / TRADUCTOR / TRADUTTORE
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Quem sou eu

Minha foto

Bem vinda(o) à página de Ton MarMel, Artista Visual, que desde criança manifestou dotes para pintura, desenho, escultura, frequentou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, recebeu inúmeros prêmios, participou de dezenas de salões de artes, exposições INDIVIDUAIS no Brasil e exterior, é Advogado, doutor em Direito Público há mais de 15 anos, que tem a missão de oferecer obras de artes, serviços artísticos experientes e conhecimentos de excelência com criatividade, segurança e eficiência, inclusive para ASESSESSORIA ARTÍSTICA, CONSULTORIA ON LINE.  (º--º)  Meu trabalho é conhecido e reconhecido por várias pessoas físicas e jurídicas pois presto serviços e ATENDIMENTOS INDIVIDUAIS E EM GRUPOS, inclusive como PALESTRANTE sobre arte social, direito, projetos sociais de relevância, desenvolvimento pessoal, motivação, empoderamento, liberdade emocional.



TOTAL DE VISITANTES

TOTAL DE VISITANTES

SEGUIDORES DE MARMEL

PESQUISAR NESTE SITE?

RECEBER NOTÍCIAS DE PUBLICAÇÕES? DIGITE E-MAIL

quinta-feira, novembro 14, 2013

ATO DE CRIAR

Há pintores, escultores, escritores, artistas de tema único que é repetido a cada trabalho, durante toda a vida desses artistas. Novo apenas no aspecto formal pois quanto ao conteúdo este está mais próximo de um carimbo sem graça e sem novidade que lembra cena do apertar de parafusos em fábrica do filme Tempos Modernos. 


(/Sobre traços e indícios da realidade na arte e na vida. Por Ton MarMel. 2013)

Apesar de constante a vida de cada pessoa tem suas novidades e repetições todos os dias, e o ato de criar deve ser espelho daquilo que acontece na vida do artista, caso contrário seu trabalho é uma fraude e ofensa a autenticidade na arte.


(Sobre o jogo de sedução. Por Ton MarMel. 2013)

Fazer da repetição formal uma marca, uma assinatura, um estilo para ser reconhecido e apontado é ato criativo apenas nos primeiros trabalhos de arte, e após o terceiro ou quarto trabalho desenvolvido com as mesmas linhas, traços e cores além de tornar-se enjoativo é claro sinal de comodismo, de falta de criatividade, de falta de cultura e leitura sobre si mesmo, sobre o cotidiano das pessoas, sobre os objetos que cercam o artista; é não transcender ao quintal de sua casa; é concentrar-se apenas numa única árvore sem levantar voo para possuir uma visão completa da floresta na qual está situada sua árvore de vida em relação ao planeta e em relação ao universo.


(Ainda sobre a Paz. Por Ton MarMel. 2013)


No passado o ato repetitivo foi valorizado, mas hoje graças ao advento da ferramenta da internet a repetição não tem mais lugar, e a imagem que se viu hoje publicada ou na parede transforma-se rapidamente em peça de museu em poucas horas, perde a graça da novidade face as milhares de imagens, fotos e informações que chegam a cada segundo, deixando apenas no olhar do expectador o desejo pelo objeto novo. Portanto, deixai a imaginação ocupar o lugar da imaginação que é a vida.


(Ton MarMel)