TRADUTOR / TRANSLATER

TRADUTOR / TRANSLATER / TRADUCTEUR / TRADUCTOR / TRADUTTORE
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

SEGUIDORES DE MARMEL

TOTAL DE VISITANTES

TOTAL DE VISITANTES

Quem sou eu

Minha foto

Bem vinda(o) à página de Ton MarMel, Artista Visual, que desde criança manifestou dotes para pintura, desenho, escultura, frequentou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, recebeu inúmeros prêmios, participou de dezenas de salões de artes, exposições INDIVIDUAIS no Brasil e exterior, é Advogado, doutor em Direito Público há mais de 15 anos, que tem a missão de oferecer obras de artes, serviços artísticos experientes e conhecimentos de excelência com criatividade, segurança e eficiência, inclusive para ASESSESSORIA ARTÍSTICA, CONSULTORIA ON LINE.  (º--º)  Meu trabalho é conhecido e reconhecido por várias pessoas físicas e jurídicas pois presto serviços e ATENDIMENTOS INDIVIDUAIS E EM GRUPOS, inclusive como PALESTRANTE sobre arte social, direito, projetos sociais de relevância, desenvolvimento pessoal, motivação, empoderamento, liberdade emocional.



PESQUISAR NESTE SITE?

RECEBER NOTÍCIAS DE PUBLICAÇÕES? DIGITE E-MAIL

segunda-feira, março 10, 2014

GOYA: TRAÇOS DO PENSAMENTO EM LIVRO



O espanhol era guiado pelos ideais iluministas do século 17

A filosofia segue contemplando o tempo, como descreve o artista espanhol Francisco Jose de Goya y Lucientes na legenda da gravura Pobre e nua vai a filosofia. Nua, de fato, ela não está, apesar das roupas em farrapos. Nos pés, porém, não há calçados. Um livro aberto na mão direita e outro fechado na esquerda, sugerindo que o conhecimento está ali disponível. Com base em um poema de Petrarca, Goya escreveu a descrição da imagem e traçou um rosto ingênuo com olhos indagadores voltados para o céu. A figura estaria apresentando uma ruptura à tradição e anunciando o advento da arte moderna, segundo Tzvetan Todorov, no livro Goya à sombra das Luzes.




Goya representa pensamento e arte de vanguarda, em um cenário onde imagem esteve sempre associada a maneira de pensar, ver e produzir arte. “Somente quando nós. habitantes do século 19, lançamos um olhar sobre a evolução das artes da imagem na Europa, ao longo dos 200 anos que acabam de passar, é que somos levados a constatar: produziu-se uma subversão durante esse período da história, e Goya é o artista que, certamente não o único, mas melhor do que ninguém, pressentiu os novos caminhos que se abriram à sua arte e esboçou alguns primeiros passos por esses caminhos”, descreve Todorov.




(Fonte: Vanessa Aquino, via Correio Braziliense)