TRADUTOR / TRANSLATER

TRADUTOR / TRANSLATER / TRADUCTEUR / TRADUCTOR / TRADUTTORE
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Quem sou eu

Minha foto

Bem vinda(o) à página de Ton MarMel, Artista Visual, que desde criança manifestou dotes para pintura, desenho, escultura, frequentou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, recebeu inúmeros prêmios, participou de dezenas de salões de artes, exposições INDIVIDUAIS no Brasil e exterior, é Advogado, doutor em Direito Público há mais de 15 anos, que tem a missão de oferecer obras de artes, serviços artísticos experientes e conhecimentos de excelência com criatividade, segurança e eficiência, inclusive para ASESSESSORIA ARTÍSTICA, CONSULTORIA ON LINE.  (º--º)  Meu trabalho é conhecido e reconhecido por várias pessoas físicas e jurídicas pois presto serviços e ATENDIMENTOS INDIVIDUAIS E EM GRUPOS, inclusive como PALESTRANTE sobre arte social, direito, projetos sociais de relevância, desenvolvimento pessoal, motivação, empoderamento, liberdade emocional.



TOTAL DE VISITANTES

TOTAL DE VISITANTES

SEGUIDORES DE MARMEL

PESQUISAR NESTE SITE?

RECEBER NOTÍCIAS DE PUBLICAÇÕES? DIGITE E-MAIL

segunda-feira, março 10, 2014

GOYA: TRAÇOS DO PENSAMENTO EM LIVRO



O espanhol era guiado pelos ideais iluministas do século 17

A filosofia segue contemplando o tempo, como descreve o artista espanhol Francisco Jose de Goya y Lucientes na legenda da gravura Pobre e nua vai a filosofia. Nua, de fato, ela não está, apesar das roupas em farrapos. Nos pés, porém, não há calçados. Um livro aberto na mão direita e outro fechado na esquerda, sugerindo que o conhecimento está ali disponível. Com base em um poema de Petrarca, Goya escreveu a descrição da imagem e traçou um rosto ingênuo com olhos indagadores voltados para o céu. A figura estaria apresentando uma ruptura à tradição e anunciando o advento da arte moderna, segundo Tzvetan Todorov, no livro Goya à sombra das Luzes.




Goya representa pensamento e arte de vanguarda, em um cenário onde imagem esteve sempre associada a maneira de pensar, ver e produzir arte. “Somente quando nós. habitantes do século 19, lançamos um olhar sobre a evolução das artes da imagem na Europa, ao longo dos 200 anos que acabam de passar, é que somos levados a constatar: produziu-se uma subversão durante esse período da história, e Goya é o artista que, certamente não o único, mas melhor do que ninguém, pressentiu os novos caminhos que se abriram à sua arte e esboçou alguns primeiros passos por esses caminhos”, descreve Todorov.




(Fonte: Vanessa Aquino, via Correio Braziliense)