TRADUTOR / TRANSLATER

TRADUTOR / TRANSLATER / TRADUCTEUR / TRADUCTOR / TRADUTTORE
English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

Quem sou eu

Minha foto

Bem vinda(o) à página de Ton MarMel, Artista Visual, que desde criança manifestou dotes para pintura, desenho, escultura, frequentou a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, recebeu inúmeros prêmios, participou de dezenas de salões de artes, exposições INDIVIDUAIS no Brasil e exterior, é Advogado, doutor em Direito Público há mais de 15 anos, que tem a missão de oferecer obras de artes, serviços artísticos experientes e conhecimentos de excelência com criatividade, segurança e eficiência, inclusive para ASESSESSORIA ARTÍSTICA, CONSULTORIA ON LINE.  (º--º)  Meu trabalho é conhecido e reconhecido por várias pessoas físicas e jurídicas pois presto serviços e ATENDIMENTOS INDIVIDUAIS E EM GRUPOS, inclusive como PALESTRANTE sobre arte social, direito, projetos sociais de relevância, desenvolvimento pessoal, motivação, empoderamento, liberdade emocional.



TOTAL DE VISITANTES

TOTAL DE VISITANTES

SEGUIDORES DE MARMEL

PESQUISAR NESTE SITE?

RECEBER NOTÍCIAS DE PUBLICAÇÕES? DIGITE E-MAIL

sexta-feira, fevereiro 01, 2013

OS DERVIXES E O GALO (SARNEY E RENAN "ENCALHEIROS")

 (#TonMarMel)
“Conta-se que um dervixe, ao regressar de uma peregrinação, se hospedou na choupana de um camponês que o acolheu com grande cordialidade.
Uma semana depois, a mulher do camponês lhe disse:
- Homem, manda embora esse dervixe (dervixe é um religioso mulçumano). Se ele continuar a comer tanto, deixa-nos na miséria.
Respondeu o marido:
- Não posso fazer tal coisa, mulher; seria pecado expulsar de casa um homem tão santo e virtuoso!
Decorrida outra semana, a mulher voltou a insistir.
-Manda embora o dervixe. Já não há o que comer em casa.

À vista disso, o camponês resolveu-se a despedir o hóspede importuno. Encontrou-o no jardim, descansando em branda relva, absorto em profunda meditação.
Disse-lhe:
- Rendo-te, senhor, graças pela visita que fizeste ao meu humilde tugúrio (cabana). É justo, porém, que outros gozem também de semelhante honra. Já comemos as últimas tâmaras.
  
O santo homem inclinou a cabeça e respondeu:
-Pois sim, meu filho. Longe de mim a idéia de querer abusar da tua hospitalidade. Acorda-me amanhã ao romper do dia, para continuar a sagrada viagem.
Na manhã seguinte, quando as estrelas se apagavam no céu, o camponês foi despertar o dervixe. Sacudiu-o pelo ombro a fim de arrancá-lo do sono:
- Levanta-te, meu bom amigo, que o galo já cantou!
Exclamou o dervixe:
- Oh! ainda tens um galo!...
  
E virando-se para o outro lado, continuou a dormir...”

..........................
 Moral da estória: Enquanto houver um galo a ser comido não se larga a rapadura. (O Dervixe e o Galo: Conto infantil atribuído ao famoso escritor brasileiro de nome Julio Cesar de Melo e Sousa, conhecido pelo pseudônimo de Malba Tahan, autor consagrado de O Homem que Calculava e dezenas de outras obras).

Ton MarMel.